Doença Celíaca: O que é, Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção!

Também chamada de: Enteropatia sensível ao glúten, doença celíaca é uma reação imune ao glúten, uma proteína encontrada em trigo, cevada e centeio.Se você tem doença celíaca, comer glúten desencadeia uma resposta imune no intestino delgado. Com o tempo, esta reação danifica o revestimento do intestino delgado e impede a absorção de alguns nutrientes (absorção insuficiente). Danos intestinais geralmente causam diarreia, fadiga, perda de peso, inchaço e anemia, e podem levar a complicações sérias.

Em crianças, a absorção insuficiente pode afetar o crescimento e o desenvolvimento, além dos sintomas observados em adultos. Não há cura para a doença celíaca. Para a maioria das pessoas, seguir uma dieta sem glúten pode ajudar a controlar os sintomas e estimular a cicatrização intestinal.

O que é Doença Celíaca:

A doença celíaca é uma reação imunológica à ingestão de glúten, uma proteína encontrada no trigo, na cevada e no centeio. A doença celíaca é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados, como massas, pizzas, bolos, pães, biscoitos, cerveja, uísque, vodka e alguns doces, provocando dificuldade do organismo de absorver os nutrientes dos alimentos, vitaminas, sais minerais e água.

A doença celíaca é uma condição crônica, autoimune, que afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos. A doença causa atrofia da mucosa do intestino, causando prejuízo na absorção dos nutrientes, sais minerais e água. A doença celíaca é diferente da sensibilidade ao glúten ou intolerância ao trigo. Se você tem sensibilidade ao glúten, pode ter sintomas semelhantes aos da doença celíaca, como dor abdominal e cansaço. Ao contrário da doença celíaca, a sensibilidade ao glúten não danifica o intestino delgado.

Doença Celíaca

Causas de Doença Celíaca:

A doença celíaca é o resultado de uma interação entre genes, a ingestão de alimentos com glúten e outros fatores ambientais, mas a causa exata é desconhecida. Práticas de alimentação infantil, infecções gastrointestinais e bactérias presentes nos intestinos podem contribuir para o desenvolvimento da doença celíaca.

Às vezes, a doença celíaca se manifesta, ou se torna ativa pela primeira vez, após cirurgia, gravidez, parto, infecção viral ou estresse emocional intenso. Quando o sistema imunológico do organismo reage excessivamente ao glúten na comida, essa reação danifica pequenas projeções semelhantes ao cabelo (vilos) que reveste o intestino delgado. As vilosidades absorvem vitaminas, minerais e outros nutrientes dos alimentos que você come. Se você tem vilosidades danificadas, você não pode obter nutrientes suficientes, não importa o quanto você coma.

Algumas variações genéticas parecem aumentar o risco de sofrer da doença. Mas ser portador dessas variantes genéticas não significa que você terá doença celíaca, o que sugere que outros fatores devem estar presentes. Estima-se que a taxa de doença celíaca nos países ocidentais é de aproximadamente 1% da população. A doença celíaca é mais frequente em caucasianos. No entanto, atualmente, é diagnosticado entre muitos grupos étnicos e os casos são encontrados em todo o mundo.

Sintomas de Doença Celíaca:

Os sinais e sintomas da doença celíaca podem variar muito e são diferentes em adultos e crianças. Os sinais mais frequentes em adultos são: diarreia, fadiga e perda de peso. Os adultos também podem ter inchaço e gases, dor abdominal, náusea, constipação e vômitos. No entanto, mais da metade dos adultos com doença celíaca têm sinais e sintomas que não estão relacionados ao sistema digestivo, como os seguintes:

  • Anemia, geralmente devido à deficiência de ferro
  • Perda de densidade óssea (osteoporose) ou amolecimento dos ossos (osteomalácia);
  • Comichão na pele e bolhas (dermatite herpetiforme);
  • Deterioração do esmalte dentário;
  • Aftas;
  • Dores de cabeça e fadiga;
  • Lesões no sistema nervoso, com formigamento e dormência nos pés e nas mãos, possível perda de equilíbrio e deterioração cognitiva;
  • Dor nas articulações;
  • Deterioração da função do baço (hipoesplenismo);
  • Refluxo ácido e azia.

Crianças:

Em crianças com menos de dois anos de idade, os sinais e sintomas típicos da doença celíaca são os seguintes:

  • Vômito
  • Diarréia crônica
  • Distensão abdominal
  • Atraso de desenvolvimento
  • Falta de apetite
  • Atrofia muscular progressiva

A partir dos dois anos de idade, as crianças podem apresentar:

  • Diarreia;
  • Constipação;
  • Perda de peso;
  • Irritabilidade;
  • Baixa estatura;
  • Puberdade tardia.

Sintomas neurológicos, como transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), dificuldades de aprendizagem, cefaleia, falta de coordenação muscular e convulsões

Dermatite Herpetiforme:

Dermatite herpetiforme é uma doença de pele que causa coceira e bolhas, e que se origina da intolerância intestinal ao glúten. A erupção geralmente aparece nos cotovelos, joelhos, tronco, couro cabeludo e nádegas.  Em geral, a dermatite herpetiforme está associada a alterações idênticas às da doença celíaca nas paredes do intestino delgado, mas essa dermatite nem sempre produz sintomas digestivos óbvios.

Para tratar a dermatite herpetiforme e controlar a erupção, os médicos indicam uma dieta sem glúten, medicamentos ou ambos.

Quando Consultar com o Médico:

Consulte o seu médico se você tiver diarréia ou desconforto digestivo por mais de duas semanas. Consulte o pediatra se o seu filho estiver pálido ou irritável, tiver um atraso no desenvolvimento ou um abdômen proeminente, e as fezes estiverem fedorentas e volumosas. Não se esqueça de consultar o seu médico antes de tentar uma dieta sem glúten.

Se você parar de comer glúten ou mesmo reduzir a quantidade de glúten que consome antes de realizar o teste da doença celíaca, poderá alterar os resultados do teste. A doença celíaca geralmente é hereditária. Se algum membro de sua família tiver essa condição, pergunte ao seu médico se você deve fazer o teste. Você também deve perguntar ao seu médico sobre a possibilidade de testar se você ou alguém da sua família tem um fator de risco para doença celíaca, como diabetes tipo 1.

Preparação Para a Consulta:

Você pode ser encaminhado a um médico especializado no tratamento de doenças do aparelho digestivo (gastroenterologista). Abaixo, você encontrará informações que ajudarão você a se preparar para a consulta e saber o que esperar do médico.

O que pode fazer:

  • Continue comendo uma dieta normal. Se você suspender ou reduzir a ingestão de glúten antes de realizar a análise para a detecção da doença celíaca, poderá afetar os resultados do teste.
  • Mantenha um registro de seus sintomas. Inclui quando começaram e como mudaram ao longo do tempo.
  • Registre suas informações pessoais mais importantes. Inclua aquelas situações que geram estresse ou qualquer mudança recente em sua vida.
  • Faça uma lista de todos os medicamentos. Inclua as vitaminas ou suplementos que você está tomando.
  • Escreva perguntas para perguntar ao seu médico.

Perguntas para perguntar ao seu médico:

Algumas perguntas básicas para perguntar ao seu médico incluem o seguinte:

  • Qual é a causa mais provável dos meus sintomas?
  • Minha condição é temporária ou de longo prazo?
  • Que tipo de testes eu preciso fazer?
  • Quais tratamentos podem ajudar?
  • Existem restrições na dieta que devo seguir?
  • Como vou saber quais alimentos têm glúten? Devo consultar um nutricionista?
  • Se eu tiver doença celíaca, também terei que fazer o teste para outras condições, como insuficiência de vitaminas ou minerais, osteoporose ou diabetes?

Não hesite em fazer outras perguntas durante a consulta.

O que esperar do médico:

Você tem que estar preparado para responder às perguntas do seu médico, tais como:

  • Quando você começou a sentir os sintomas e quão ruins eles estão?
  • Os sintomas foram contínuos ou isolados?
  • Existe algo que, aparentemente, melhora seus sintomas?
  • Existe algo que parece piorar seus sintomas?
  • Quais medicamentos e analgésicos você toma regularmente?
  • Você tem um membro da família que tem doença celíaca?
  • Você ou um membro da família tem um distúrbio auto-imune?
  • Você já teve bolhas ou erupções cutâneas, juntamente com seus sintomas?
  • Você já foi diagnosticado com anemia ou osteoporose?

Fatores de Risco de Doença Celíaca:

Qualquer um pode ter doença celíaca. No entanto, geralmente é mais frequente em pessoas que têm:

Complicações de Doença Celíaca:

A doença celíaca não tratada pode causar o seguinte:

  • Desnutrição Danos ao intestino delgado significam que ele não pode absorver nutrientes suficientes. A desnutrição pode causar anemia e perda de peso. Em crianças, a desnutrição pode causar crescimento lento e baixa estatura.
  • Perda de cálcio e densidade óssea. A má absorção de cálcio e vitamina D pode produzir o amolecimento de um osso (osteomalácia ou raquitismo) em crianças e a perda de densidade óssea (osteoporose) em adultos.
  • Infertilidade e aborto. A má absorção de cálcio e vitamina D pode contribuir para problemas reprodutivos.
  • Intolerância à lactose Danos ao intestino delgado podem fazer com que você sinta dores abdominais e diarreia depois de ingerir produtos lácteos que contenham lactose, mesmo que eles não contenham glúten. Uma vez que o intestino tenha cicatrizado, você poderá tolerar os produtos lácteos novamente. No entanto, algumas pessoas continuam a sentir intolerância à lactose, apesar do tratamento adequado da doença celíaca.
  • Câncer As pessoas com doença celíaca que não seguem uma dieta sem glúten têm um risco aumentado de desenvolver várias formas de câncer, como o linfoma intestinal e o câncer do intestino delgado.
  • Problemas neurológicos Algumas pessoas com doença celíaca podem desenvolver problemas neurológicos, como convulsões ou neuropatia periférica (doença dos nervos que atinge as mãos e os pés).

Em crianças, a doença celíaca também pode causar desenvolvimento deficiente, atraso na puberdade, perda de peso, irritabilidade e defeitos no esmalte dentário, anemia, artrite e epilepsia.

Doença Celíaca que não Responde ao Tratamento:

É possível que uma porcentagem equivalente a 30% das pessoas com doença celíaca não tenha, ou não possa manter, uma boa resposta à dieta livre de glúten. Esta condição, conhecida como doença celíaca que não responde ao tratamento, é muitas vezes devido à contaminação da dieta do glúten. Portanto, é importante consultar um nutricionista.

As pessoas com doença celíaca sem resposta ao tratamento pode ter outras condições, tais como bactérias no intestino delgado (sobre-crescimento bacteriano), colite microscópica, disfunção pancreática, síndrome do intestino irritável ou intolerância dissacarídeo (lactose e frutose). Ou, eles podem ter doença celíaca refratária.

Doença Celíaca Refratária:

Em casos raros, a lesão intestinal da doença celíaca persiste e causa má absorção de substâncias, embora você tenha seguido uma dieta rigorosa sem glúten. Essa combinação é conhecida como doença celíaca refratária.

Se continuar a sentir sinais e sintomas apesar de seguir uma dieta sem glúten durante seis meses a um ano, o seu médico poderá recomendar outros testes e procurar outras explicações para os sintomas. Seu médico pode recomendar o tratamento com um esteróide para reduzir a inflamação intestinal ou um medicamento que suprime o sistema imunológico. Todos os pacientes com doença celíaca devem ser acompanhados para monitorar a resposta da doença ao tratamento.

Diagnóstico de Doença Celíaca:

Pesquisadores estimam que apenas 20% das pessoas com doença celíaca podem receber um diagnóstico. Os médicos podem indicar dois exames de sangue para ajudar a diagnosticar a doença celíaca.

  • Análise sorológica que detecta anticorpos no sangue. Níveis elevados de certas proteínas de anticorpos indicam uma reação imune ao glúten.
  • Análises genéticas para antígenos leucocitários humanos que podem ser usados ​​para descartar doença celíaca.

Se os resultados desses testes indicarem doença celíaca, o médico pode indicar que um endoscópio examina seu intestino delgado e remove uma pequena amostra de tecido (biópsia) para analisar e detectar danos nas vilosidades. É importante testar a doença celíaca antes de tentar uma dieta sem glúten. Remoção de glúten da sua dieta pode alterar os resultados dos exames de sangue de uma forma que parece normal.

Tratamento de Doença Celíaca:

Uma dieta rigorosa e vitalícia sem glúten é a única maneira de controlar a doença celíaca. Além do trigo, os alimentos que contêm glúten são:

  • Cevada;
  • Bulgur;
  • Trigo de cevada;
  • Farina Farina;
  • Farinha integral;
  • Malta;
  • Centeio;
  • Sêmola;
  • Trigo espelta;
  • Triticale.

O médico pode encaminhá-lo para um nutricionista, que pode ajudá-lo a planejar uma dieta saudável sem glúten. Uma vez que você elimina o glúten de sua dieta, a inflamação do intestino delgado geralmente começa a diminuir, geralmente em algumas semanas, embora você possa começar a sentir-se melhor em poucos dias. Cura completa e novo crescimento de vilosidades podem levar vários meses a vários anos. Cicatriz do intestino delgado tende a ocorrer mais rapidamente em crianças do que em adultos.

Se você comer um produto que contenha glúten por acidente, poderá sentir dor abdominal e diarréia. Algumas pessoas não experimentam quaisquer sinais ou sintomas depois de comer glúten, mas isso não significa que não seja prejudicial para eles. Mesmo quantidades mínimas de glúten na dieta podem ser prejudiciais, mesmo que não causem sinais ou sintomas. Pode haver glúten oculto em certos alimentos, medicamentos e produtos não alimentares, por exemplo:

  • Amido modificado, conservantes e estabilizadores de alimentos;
  • Prescrição e medicamentos sem receita;
  • Suplementos vitamínicos e minerais;
  • Suplementos de ervas e nutricionais;
  • Batons;
  • Boca lavagens e cremes dentais;
  • Cola de envelopes e selos;
  • Massa Play-Doh.

Vitaminas e Suplementos Minerais:

Se você tem uma deficiência nutricional significativa, o seu médico ou nutricionista pode recomendar vitaminas e suplementos minerais para você beber. É possível que você tenha que fornecer seus níveis de:

Vitaminas e suplementos são geralmente tomados sob a forma de comprimidos. Se você tiver dificuldade em absorver vitaminas devido a um problema no trato digestivo, seu médico poderá administrá-las na forma de uma injeção. Você deve se certificar de que as vitaminas e suplementos não contêm glúten.

Cuidados de Acompanhamento:

Se você tem doença celíaca, você precisará de acompanhamento médico para se certificar de que os sintomas responderam a uma dieta sem glúten. Os médicos também vão querer ter certeza de obter o apoio necessário para manter a dieta por toda a vida. Eles usarão exames de sangue para monitorar sua resposta. Os resultados desses testes, que são projetados principalmente como uma forma de detectar a doença celíaca, geralmente se tornam negativos quando você tem uma dieta livre de glúten por 6 a 12 meses. Se os resultados dos testes ainda forem positivos, seu médico pode tentar encontrar o motivo. O mais frequente é a exposição involuntária ao glúten na dieta.

No entanto, estes testes não são perfeitos e mesmo que os resultados se tornem negativos, você ainda pode estar exposto a uma quantidade significativa de glúten e ainda ter sintomas e danos aos intestinos. Se os sintomas continuarem ou reaparecerem, você pode precisar de uma endoscopia de acompanhamento com biópsias para garantir a cicatrização. Em geral, os adultos têm maior necessidade de testes de acompanhamento, embora também possam ser necessários para as crianças.

Alguns médicos recomendam uma nova biópsia de rotina se você for diagnosticado com a doença na idade adulta, já que a cura é muitas vezes lenta e incerta. Também pode ser útil fazer um acompanhamento com um nutricionista experiente para obter assistência na adaptação a uma dieta saudável, nutritiva e sem glúten e manter essa dieta.

Medicamentos Para Controlar a Inflamação Intestinal:

Se o seu intestino está gravemente danificado, o seu médico pode recomendar esteroides para controlar a inflamação. Os esteroides podem aliviar os sinais e sintomas intensos da doença celíaca enquanto o intestino cicatriza.

Dermatite Herpetiforme:

Se você tem esse tipo de erupção cutânea com comichão e feridas que, por vezes, acompanham a doença celíaca, o médico pode recomendar uma medicação para a pele (dapsona), juntamente com uma dieta sem glúten.

Doença Celíaca Refratária:

Se você tem doença celíaca refratária, você ainda pode ter sintomas graves ou os sintomas podem ser aliviados, mas reaparecem. Em qualquer caso, o intestino delgado não cicatriza. Quando isso acontece, você provavelmente precisa de uma avaliação em um centro especializado. A doença celíaca refratária pode ser bastante grave e atualmente não há tratamento comprovado.

Pessoas com doença celíaca refratária devem receber tratamento especializado. As causas desta condição podem ser várias. Os médicos geralmente usam a terapia com esteroides, seja para uso tópico, como budesonida ou esteroides sistêmicos, como a prednisona. Às vezes, eles usam os mesmos medicamentos usados ​​para tratar outras condições.

Possíveis Tratamentos Futuros

Enquanto a única terapia comprovada para a doença celíaca é uma dieta livre de glúten, não é perfeita. Pessoas que sofrem de doença celíaca muitas vezes podem ser expostas ao glúten por acidente, possivelmente causando sintomas intensos. Vários tratamentos para a doença celíaca estão sendo desenvolvidos. Alguns tentam se ligar ao glúten ou neutralizá-lo. Outros atacam a barreira intestinal e bloqueiam a perda que o glúten pode causar.

E outros se concentram no sistema imunológico do corpo. Pesquisadores também tentaram modificar geneticamente o trigo, mas ainda não conseguiram. Nenhum destes tratamentos é susceptível de receber aprovação nos próximos 2 ou 3 anos. No entanto, dado o número de abordagens diferentes, é muito provável que existam tratamentos adicionais disponíveis para pessoas com doença celíaca no futuro.

Estilo de Vida e Remédios Caseiros:

Se você foi diagnosticado com doença celíaca, você deve evitar todos os alimentos que contêm glúten. Peça ao médico para encaminhá-lo para um nutricionista, que pode ajudá-lo a planejar uma dieta sem glúten. É importante incluir vitaminas, nutrientes, fibras e cálcio suficientes na dieta. Esta é uma descrição geral dos alimentos que contêm glúten e alimentos sem glúten, que podem ser consumidos com segurança.

Evite sempre o seguinte:

Evite alimentos e bebidas que contenham o seguinte:

  • Cevada;
  • Burgol;
  • Farinha de trigo duro;;
  • Farinha de graham;
  • Malta;
  • Centeio;
  • Sêmola;
  • Espelta (uma forma de trigo);
  • Triticale;
  • Trigo.

Leia os rótulos:

Você deve evitar alimentos embalados, a menos que eles indiquem que eles são isentos de glúten ou que eles não contêm ingredientes com glúten. Além de cereais, massas e produtos de panificação, como pães, bolos, tortas e biscoitos, outros alimentos embalados que podem conter glúten incluem os seguintes:

  • Cerveja;
  • Doces;
  • Molhos;
  • Imitação de carne ou frutos do mar;
  • Cortes frios processados;
  • Molhos e molhos para saladas, incluindo molho de soja;
  • Aves marinadas com óleos ou gorduras;
  • Sopas.

Certos grãos, como aveia, podem ser contaminados com trigo durante o crescimento e processamento. Farinha de aveia pura não é prejudicial para a maioria das pessoas com doença celíaca. Nos Estados Unidos, os médicos geralmente recomendam evitar aveia, a menos que seja especificamente indicado que é livre de glúten. Fora dos Estados Unidos, diferentes leis de rotulagem se aplicam à aveia. Ocasionalmente, até aveia pura pode ser um problema para pessoas com doença celíaca.

Alimentos Permitidos:

Em uma dieta sem glúten, muitos alimentos básicos são permitidos, como os seguintes:

  • Carne fresca, peixe e aves que não sejam empanados, empanados ou marinados;
  • Frutas;
  • A maioria dos produtos lácteos;
  • Batatas;
  • Vegetal;
  • Vinho e bebidas destiladas, sidra e bebidas alcoólicas.

Os grãos e amidos permitidos em uma dieta sem glúten incluem o seguinte:

  • Amaranto;
  • Araruta;
  • Trigo mourisco;
  • Milho;
  • Farinha de milho;
  • Farinhas sem glúten (arroz, soja, milho, batata, feijão);
  • Tortillas de milho puro;
  • Quinoa;
  • Arroz;
  • Tapioca.

A alfarroba é um substituto possível para o glúten, mas são necessárias mais pesquisas sobre seu efeito em pessoas com doença celíaca.

Felizmente, para pessoas com doença celíaca que são amantes de pão e massas, há uma quantidade crescente de produtos sem glúten. Se você não consegue encontrar algo em sua padaria ou loja local, verifique on-line. Existem substitutos sem glúten para muitos alimentos que contêm glúten. No entanto, tenha em mente que muitos alimentos sem glúten que são processados ​​podem conter uma quantidade excessiva de gordura e calorias.

Medicina Alternativa:

Não há tratamento comprovado que ajude as pessoas com doença celíaca. As terapias enzimáticas que digerem o glúten podem ser obtidas em lojas de produtos naturais ou outros pontos de venda, mas não há evidências científicas de que sejam eficazes no tratamento da doença doença celíaca.

Estratégias de Enfrentamento e Apoio:

Pode ser difícil e estressante seguir uma dieta completamente livre de glúten. Aqui estão algumas maneiras de lidar e controlar melhor a condição.

  • Treine-se Treine as pessoas ao seu redor, como sua família e amigos, para que eles possam reconhecer, aceitar e apoiar seus esforços para superar essa doença.
  • Siga as recomendações do seu médico. Se você é diagnosticado com doença celíaca, é necessário manter uma dieta sem glúten.
  • Junte-se a um grupo de apoio. Saber que você não está sozinho é uma grande ajuda. Você vai encontrar conforto em compartilhar sua experiência e suas batalhas e conhecer pessoas que enfrentam desafios semelhantes. Organizações como a Celiac Disease Foundation, a Celiac Support Association e a Beyond Celiac podem ajudá-lo a entrar em contato com outras pessoas que tiveram experiências semelhantes. pode entender o que você está passando.

Prevenção de Doença Celíaca:

Como a doença tem uma base genética importante, em geral, não há medidas específicas de prevenção, além do aconselhamento genético em familiares portadores da doença. A concordância da doença celíaca entre gêmeos monozigóticos é muito alta (cerca de 75%), enquanto a taxa de concordância entre irmãos não gêmeos é de 11%. Diante dessa elevada prevalência, a maioria dos autores recomendam o rastreamento de familiares de primeiro grau de pacientes portadores de doença celíaca, mesmo se assintomáticos.

Leave your vote

0 points
Upvote Downvote

Comments

0 comments

Recomendado Para Você: